Piqué classificou como uma “vergonha” a goleada de 8 a 2 aplicada pelo Bayern de Munique sobre o Barcelona na partida válida pelas quartas de final da Liga dos Campeões, em Lisboa. O zagueiro pediu uma reformulação profunda no clube, que não passava uma temporada sem ganhar títulos desde 2007-2008.

“O clube precisa de mudanças. E não estou falando apenas do treinador e dos jogadores. O clube precisa de mudanças de todos os tipos. Ninguém é indispensável. Sou o primeiro a me oferecer para sair, se necessário. Agora realmente chegamos ao fundo do poço”, declarou, após a partida. “Foi um jogo horrível, e temos uma sensação muito ruim. É uma vergonha, não se pode competir assim. E não é a primeira, segunda ou terceira vez. É muito difícil, e espero que sirva de algo”, acrescentou.

O treinador Quique Setién respaldou o pedido do zagueiro. “Só estou aqui há oito meses. Se quem diz é Piqué, que está há tanto tempo, algo de certo tem sua conclusão, e certamente algo terá que mudar”, disse. Ele classificou a goleada como “uma derrota tremendamente dolorosa”, sofrida por uma equipe “dominada” por um “Bayern muito eficaz”. Embora já apontado como ex-treinador por parte da imprensa europeia, ele evitou comentar seu futuro à frente do clube. “Ainda está muito cedo para dizer se vou continuar ou não. Isso não depende de mim, e temos que refletir sobre o que aconteceu”, finalizou.