A indústria brasileira estava tentando ensaiar uma recuperação antes do impacto da pandemia do coronavírus.

Segundo o IBGE, no mês de fevereiro o crescimento da indústria nacional ficou em 0,50% em relação a janeiro. Em janeiro a alta tinha sido de 1,2% com relação ao mês anterior, somando um crescimento acumulado de 1,6%, mas ainda insuficiente para repor as perdas do ano passado.

Agora, no mês de fevereiro, os destaques foram os bens de capital para transporte e agricultura e os bens intermediários. Houve também um bom desempenho da indústria automobilística, mas isso é passageiro, de acordo com o economista do IBGE, André Macedo.

Em fevereiro, inclusive, os primeiros impactos do coronavírus já foram identificados. Eles foram manifestados em um agrupamento de equipamentos que dependem de insumos importados, principalmente, da China. Por isso, o setor ficou sem insumos e matéria prima.

A partir de março, esses efeitos negativos da pandemia do coronavírus devem ser mais fortes e mais intensos.

“A partir do dia 11 de março, com a pandemia, isolamento social, concedendo férias coletivas. É claro que isso vai trazer impactos para a produção industrial.Ainda não tem como dizer o impacto, mas é claro que vai acontecer.”

Embora a indústria brasileira estivesse ensaiando uma tentativa de recuperação, nos últimos 12 meses, acumulado do ano, a perda de uma queda de 1,2%, segundo o IBGE.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga