Lionel Messi, enfim, se pronunciou sobre a polêmica com o Barcelona. Através de comunicado, assinado por seu pai e agente Jorge Messi, o argentino rebateu as declarações da La Liga, a entidade responsável por organizar o Campeonato Espanhol, que defendeu o clube catalão e afirmou que o atacante não poderia deixar o Camp Nou devido a uma cláusula de rescisão estimada em 700 milhões de euros (na cotação atual, aproximadamente R$ 4,3 bilhões). Na carta, ele reafirma que tem o direito de deixar o Barça gratuitamente. “Esta indenização não se aplicará quando a resolução do contrato por decisão unilateral do jogador tenha efeito a partir de finalizada a temporada 2019-20.”

No comunicado, Messi acusa a La Liga de ser parcial no caso e deixa claro que deseja deixar o Barcelona sem custos. “Esse é um erro evidente da sua parte”, disparou contra o órgão. “Sem prejuízo de outros direitos que estão incluídos no contrato e que omitem, é óbvio que a indenização de 700 milhões de euros, prevista na cláusula 8.2.3.5 anterior, não se aplica de todo”, completou.

A La Liga fez comentários públicos sobre o caso no último domingo, 30. Em comunicado, a entidade se posicionou a favor do Barcelona, dizendo que o contrato de Messi está em vigor e só pode ser rescindido com o pagamento da multa, fixada em 700 milhões de euros. O presidente da La Liga, Javier Tebas, disse há alguns meses que a liga espanhola não foi realmente afetada financeiramente depois que Cristiano Ronaldo deixou o Real Madrid e foi contratado pela Juventus, não vendo uma redução nas audiências de televisão ou contratos de direitos autorais. Mas ele considera que se Messi sair a o cenário pode ser diferente, e o campeonato deve ser prejudicado financeiramente.