O ministro das Comunicações, Fábio Faria, disse, em entrevista ao programa Os Pingos nos Is nesta sexta-feira (3), que o leilão do 5G só acontecerá em 2021. “Vamos deixar para 2021, tenho certeza que esse ano não dá mais tempo para fazer o leilão”, afirmou.

Considerado o maior leilão de radiofrequências da história do país, a licitação vai determinar as empresas que poderão implementar e explorar a nova tecnologia no Brasil. A discussão estava prevista para acontecer ainda neste ano, mas a pandemia do novo coronavírus atrasou os planos.

Segundo Faria, ele vai estudar as propostas, sem descartar nenhuma empresa, e levá-las ao presidente Jair Bolsonaro, que tomará a decisão final. “Cabe a mim receber todas as demandas, os players importantes, até para ver a questão da transparência, preço e investimento para levar ao presidente para que ele possa fazer a escolha”, explicou, prometendo ficar alinhado a Bolsonaro. “Vou dar subsídios para ele, mas vou ouvir o presidente.”

Imagem do Brasil

Ministro há pouco mais de duas semanas, Fábio Faria disse que uma das primeiras prioridades dele na pasta das Comunicações é mudar a imagem do Brasil no exterior. Para ele, a imagem externa do país, principalmente na Europa, está muito prejudicada por causa das notícias sobre o desmatamento da Amazônia.

“Estão vendendo na Europa uma imagem do Brasil que não é real, precisamos comunicar melhor, principalmente em relação à Amazônia”, afirmou. “Parece que a Amazônia toda está desmatada e virou uma imensa fogueira.”

Para solucionar o problema, a pasta pretende fechar parcerias com TVs estrangeiras para a exibição de programas sobre o Brasil e os avanços do governo em relação ao meio ambiente. Fábio Faria também não descarta a criação de um canal de TV exclusivo para o Brasil em outros países e afirmou que “existe uma ideia” de uma plataforma de conteúdo brasileiro para estrangeiros. “Temos 0 desafio de mostrar o que o governo tem feito de bom.”

Além de mostrar para o resto do mundo o que o governo Bolsonaro tem feito, o ministro também quer mostrar os avanços aos brasileiros. “O eleitor do Bolsonaro e aqueles que não votaram nele precisam saber o que o governo está fazendo”, explicou. Para isso, a equipe das Comunicações vai ficar em constante contato com as outras pastas para divulgar as boas notícias.

Segundo Fábio Faria, isso também vai ajudar o governo a ganhar apoio no Congresso. “Precisamos aprovar vários projetos importantes. É preciso melhorar a comunicação para que o projeto chegue lá de uma maneira melhor”, disse.